Novena em honra da Imaculada Conceição

4ºdia

Maria, Espelho de Justiça

Espelho de justiça, é uma invocação da Ladainha Lauretana. Na encíclica Redemptoris Mater encontramos esta afirmação acerca da Virgem: «Entre todos os crentes é como um espelho, onde se refletem as maravilhas de Deus», expressão baseada no livro da Sabedoria (7,26):

«A Sabedoria é o resplendor da luz eterna e espelho imaculado da atividade de Deus e uma imagem da Sua bondade».

Quando a invocamos como espelho de justiça cremos que em Maria se reflete a santidade divina, quer dizer, a perfeição, porque a linguagem bíblica identifica justiça com perfeição. Toda a perfeição se pode admirar Nela, da mesma forma que a luz do sol é refletida num espelho. Jesus é o Sol que é refletido perfeitamente por Sua Mãe.

Como “Espelho de perfeição”, Maria é a imagem da alma, do espiritual e reflexo da luz eterna que não fere, não mancha, nem perfura a delicadeza do cristal. A Imaculada na sua qualidade de espelho alude à consciência, à claridade, à inteligência e à harmonia divinas, e também é símbolo da eterna justiça e da verdade porque o espelho não engana, devolvendo a imagem de quem o olha. Neste espelho, que é Maria, Deus pode contemplar-se e ver sua própria fisionomia. Portanto, Maria foi espelho que não deformava nem ocultava os traços da divina face que nele se refletia.

S. João Paulo II dizia que Maria “é como um espelho em que se refletem, da maneira mais profunda e luminosa, as maravilhas de Deus”

Em Maria, o espelho deixa de ser visto como elemento de vaidade, uma vez que nela se reflete o esplendor e a luz da glória de Deus.